Expediente

O monopólio das empresas de mídia tem como consequência a ausência de uma pluralidade de vozes na esfera pública, restringindo a produção e a veiculação de informações ao universo de um pequeno grupo de controladores, cujos interesses particulares se transformaram em referências para a população. Em contrapartida, amplos segmentos sociais buscam rearticular um outro jornalismo a partir da busca do protagonismo de segmentos sociais não hegemônicos.

Essa tendência é notória tanto pela produção de periódicos por parte de movimentos sociais, organizações não governamentais e outras entidades representativas da sociedade civil, como também de movimentos alternativos que buscam reativar o objetivo central dos primórdios do jornalismo: fomentar o debate público.

As tecnologias atuais permitiram o crescimento de práticas jornalísticas populares e alternativas, à medida que barateiam e criam novas formas de acesso ao grupo dos chamados excluídos e/ou descontentes. Diante disso, é importante que a universidade, como espaço privilegiado do pensamento crítico, institucionalize e sistematize essas práticas jornalísticas como um campo de estudos capaz de contaminar o ambiente formativo do jornalismo e também da comunicação.

Deste pensamento, surgiu o Grupo de Pesquisa Jornalismo Popular e Alternativo (ALTERJOR)  que reúne professores, pesquisadores, estudantes de ensino fundamental, médio, graduação e pós-graduação, pós-doutorandos e profissionais que se interessem em desenvolver estudos e pesquisas em jornalismo popular e alternativo.

A iniciativa surgiu em 2008, idealizada pelo Prof. Dr. Dennis de Oliveira que, após longa batalha, conseguiu reincorporar os estudos sobre jornalismo popular e alternativo na Universidade de São Paulo, com a ajuda do Prof. Dr. Luciano Victor Barros Maluly e também do Prof. Dr. Rafael Duarte Oliveira Venancio e da Profa. Dra. Eliza Bachega Casadei, que na época eram estudantes do curso de graduação em jornalismo na Universidade de São Paulo.

O grupo é sediado no Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e segue as normas da Portaria Interna ECA 03/2008 e o seu regimento.

O ALTERJOR utiliza o termo “jornalismo popular” para definir práticas jornalísticas realizadas em organizações de movimento social e popular, incluindo o chamado Terceiro Setor, que tenham como objetivo central o fortalecimento institucional de tais organizações, a socialização de temáticas que envolvam a defesa da cidadania e que defendam o protagonismo de segmentos sociais não hegemônicos. Por “jornalismo alternativo” consideram-se as experiências de jornalismo nas diversas mídias que tenham como objetivo central fomentar o debate público sobre as mesmas temáticas delimitadas na definição de jornalismo popular.

Os cerca de cinquenta pesquisadores do grupo também realizam, periodicamente, diversas atividades relacionadas ao ensino, à pesquisa e à cultura e extensão, com destaque para o projeto ECA no Interior, as Semanas de Jornalismo Popular e Alternativo, os cursos aplicados sobre a pesquisa em jornalismo popular e alternativo, os encontros dos pesquisadores do ALTERJOR e os colóquios de comunicação regional, além de oferecer workshops, palestras, seminários, entre outros encontros acadêmicos e científicos.

As pesquisas do ALTERJOR promovem uma diversidade de temas envolvendo o jornalismo, sendo constante a apresentação de pesquisas (ou estudos) relacionados aos direitos humanos, à democratização dos meios de comunicação de massa, ao meio ambiente e aos problemas sociais e políticos, particularmente na América Latina.

Em relação aos direitos humanos, estão elencados trabalhos em torno das lutas das mulheres e grupos minoritários, em particular pela igualdade de direitos de gêneros e pela causa LGBTQIA+, como a homofobia e o feminicídio, além das questões étnico-raciais, como o combate ao racismo a à pobreza, entre outras que abordam a diversidade e o multiculturalismo.

A democratização dos meios de comunicação de massa também é uma pauta priorizada pelos pesquisadores, especialmente com propostas dirigidas à liberdade de expressão e de imprensa, bem como pela quebra da hegemonia e do monopólio das mídias e pelo acesso à informação e à tecnologia.

A proteção da fauna e da flora, o combate à poluição e ao aquecimento global, a implementação de políticas públicas com base na sustentabilidade e na economia criativa compõem a maioria dos trabalhos sobre a preservação do meio ambiente.

O debate sobre os problemas sociais e políticos, com especial atenção à América Latina, está caracterizado na maioria dos projetos. Assim, amplia-se a discussão acerca do acesso à educação, à saúde, à segurança pública, à moradia, à terra e aos recursos hídricos, à alimentação saudável, à economia sustentável e sobre a justa distribuição de renda, ao multiculturalismo, entre outras questões que afligem o cotidiano do ser humano e da natureza e que precisam ser abordadas e analisadas nos ambientes jornalísticos analógicos e digitais.

O grupo é responsável pela Revista Alterjor (ISSN:2176-1507) que é uma publicação eletrônica destinada aos interessados em jornalismo popular e alternativo. As edições são semestrais, com a primeira (número inicial, publicada no 2º semestre 2009), com Qualis B1 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) vinculado ao Ministério da Educação (MEC). Recentemente, também foi lançado o Blog do Alterjor com o objetivo de divulgar os trabalhos realizados pelo grupo, especialmente as parcerias com instituições nacionais e internacionais. Dessa forma, é possível encontrar colaborações de estudiosos da Nova Zelândia, Cuba, Uruguai, Espanha e Alemanha, entre outros pesquisadores. O endereço é http://www.usp.br/alterjor/. Atualmente, os editores responsáveis são os professores Luciano Victor Barros Maluly, Dennis de Oliveira e Carlos A. Tavares Junior.

Os interessados em enviar propostas e colaborar com o grupo podem entrar em contato pelo alterjor@usp.br.

EQUIPE

EDITOR: Prof. Dr. Carlos A. Tavares Junior (Doutor pelo PPGCOM-USP )

COORDENADOR RESPONSÁVEL:
Prof. Dr. Luciano Victor Barros Maluly (CJE-ECA-USP)

CONTATO: alterjor@usp.br